Sintomas da enxaqueca – Quais são os sintomas mais graves?

A severidade dos sintomas da enxaqueca é tão grave que a doença foi incluída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das doenças mais impactantes do mundo. Dados da Sociedade Brasileira de Cefaleia indicam que, no Brasil, cerca de 30 milhões de pessoas (algo em torno de 15% da população) sofre com a doença.

A faixa etária mais incidente está localizada entre os 25 e os 45 anos, mas não são apenas os adultos que sofrem com ela. Antes da puberdade, cerca de 10% de crianças podem sofrer com as dores e os sintomas causados pela enxaqueca. Mas, afinal, o que é e como identificar os sintomas da enxaqueca?

A enxaqueca é um dos 150 tipos de cefaleias existentes, sendo uma das dores de cabeça mais temidas. As crises costumam durar, em média, 72 horas e apresentar sintomas específicos. Um dos maiores são as dores de cabeça de forma unilateral. Neste tipo de dor, o sujeito que sofre com a enxaqueca sente um latejamento em um dos lados da cabeça, as quais são potencializadas se o paciente se movimentar ou estiver em locais sujeitos a barulho excessivo.

Outro sintoma que acomete os sujeitos com enxaqueca são as náuseas e os vômitos. Nesta etapa das dores, o doente costuma se automedicar e abusar de medicamentos, por exemplo os analgésicos. Segundo estatísticas da OMS, os brasileiros gastam, aproximadamente, R$ 2 bilhões de reais por mês adquirindo analgésicos.

As náuseas e os vômitos podem prejudicar a alimentação do indivíduo durante as crises, causando jejuns prolongados e potencializando as dores de cabeça. Também é comum, ao enfrentar uma crise, que o doente isole-se em lugares escuros, em decorrência da sensibilidade à luz.

ENXAQUECA COM AURA

Há, ainda, em alguns casos, a manifestação da enxaqueca com aura, em que é possível o paciente visualizar flashes de luz, manchas escuras em formato de mosaico ou até enxergar objetos distorcidos. Em casos mais severos, a enxaqueca com aura pode causar formigamentos e dormências em partes do corpo, como a língua.

TRATAMENTO

O primeiro passo para o tratamento consiste na busca por um especialista para identificar corretamente a enxaqueca, uma vez que existem vários tipos de dores de cabeça. O médico poderá indicar tratamentos que podem envolver, ou não, medicamentos, pois, uma vez identificado os gatilhos que colaboram para o desencadeamento da enxaqueca, menores serão as ocorrências das crises.

Em caso da opção por medicamentos, a indicação será feita pelo médico após o diagnóstico correto. Os medicamentos apontados para o tratamento da enxaqueca incluem antivertiginosos, antidepressivos, neuromoduladores, entre outros. Mas, cada caso é específico, por isso é preciso a prescrição médica, que atenda cada especificidade do paciente.

CUIDE-SE

Cuidar da saúde é o melhor caminho para uma vida saudável. Com isso, certos hábitos podem contribuir para amenizar a ocorrência das crises de enxaqueca, como beber mais água durante o seu dia, pois ela contribui para a hidratação do corpo, uma vez que a desidratação colabora para o aparecimento da enxaqueca.

Não se sabote. Compareça às consultas marcadas e também não adie o problema, pois é comum que, assim que a dor vai embora, o paciente não busque ajuda médica. Com isso, a dor volta de forma mais aguda e recorrente.

Por fim, desconecte-se! Sempre que possível, durma bem, evite tempos longos em frente a computadores e celulares e pratique atividades físicas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *